# Meu Projeto Biancogres

Mais recentes

Escolher os materiais e revestimentos é sempre o primeiro...
Desde que a designer de interiores Fernanda Cecotti...
Usar estampas na decoração nem sempre é fácil, mas o...
Todo mundo sabe que a internet é uma fonte inesgotável de...
Meses e meses de estudo, pesquisa de referências e...

Desde que a designer de interiores Fernanda Cecotti descobriu os benefícios dos porcelanatos, ela nunca mais deixou de usar o material nos projetos que idealiza: “Uso porcelanato em quase todos os meus projetos. Ele é prático em relação à durabilidade e manutenção e hoje esses revestimentos possuem uma gama variada de opções e efeitos, como cimento queimado, madeira, mármores... por isso podem ser aplicados em vários ambientes”, ela conta. Foi por isso que a designer escolheu dois modelos de estilos diferentes do catálogo da Biancogres para compor seu loft na mostra Morar Mais 2016 realizada em Vitória.

 

Batizado de ‘Apartamento da Mulher’, o espaço explorava elementos e texturas contrastantes para criar um efeito hi-lo. Além dos revestimentos utilizados (Soho Grigio e Marmo Calacata Bianco), vale destacar também o layout multifuncional e os móveis de serralheria que evocam o estilo industrial.

 

Batemos um papo com Fernanda a respeito do projeto e das tendências mais bacanas desse ano. Acompanhe abaixo sua entrevista e garimpe boas dicas da profissional:

 

 

 

 

 

 

Nesse projeto você misturou dois porcelanatos de estilos distintos e o resultado ficou incrível. Qual a sua dica para fazer essas composições entre dois ou mais modelos sem errar?

Fernanda Cecotti: A dica é primeiro pensar no efeito ou estilo que gostaria de aplicar. No caso desse projeto, eu queria mostrar o lado hi-lo: misturar algo com uma pegada industrial (porcelanato de cimento queimado) e trazer a sofisticação e beleza no mármore (porcelanato Calacata Bianco).  Os porcelanatos são bem neutros e isso facilita essas composições. Exemplos: cimento + madeira = estilo mais industrial e contemporâneo; mármore + madeira = estilo mais clean e sofisticado.

 

Notamos que a iluminação indireta complementa a escolha dos revestimentos. Qual o papel desses efeitos de luz na valorização dos materiais usados no projeto?

FC: Luz é tudo! No projeto usamos para dar destaque, valorizar o brilho, relevos e formatos dos materiais. A luz dá destaque ao revestimento e complementa o efeito que peça oferece.

 

Que dica você daria para quem está escolhendo os revestimentos de uma obra pela primeira vez? Como saber por onde começar?

FC: Primeiro saber qual estilo combina mais com o seu perfil. Se gosta de coisas industriais, o porcelanato com efeito de cimento queimado é uma peça chave. Em ambientes mais clean, um porcelanato que imita mármore sempre cai bem. Outro quesito é o tamanho das peças, quanto maiores elas são, maior é a sensação de amplitude no ambiente. E por fim a ajuda de um profissional é sempre importante nessa hora, porque ele saberá compor os materiais de acordo com a proposta de projeto.

 

A Expo Revestir acabou de acontecer em SP e o evento veio cheio de novidades. Você já consegue prever alguma tendência forte no mercado de revestimentos para o próximo ano?

FC: Eu acho que os revestimentos geométricos estão com tudo! Podem ser peças lisas com estampas geométricas, revestimentos com volume ou formato hexagonal, paginação tipo Chevron... Esses são padrões que eu acho que se mantém e o porcelanato sempre se reinventa, então nunca sai de moda.

 

Fotos cedidas por Fernanda Cecotti